Video Caseiro Coroa Crente Gemendo Pra Valer Nessa Foda Gostosa Com Colega De Trabalho Da Vila Da Penha – Rj

68 seg

Categoria:

Tag:

visualizações

68 seg

Categoria:

Tag:

Video Caseiro Coroa Crente Gemendo Pra Valer Nessa Foda Gostosa Com Colega De Trabalho Da Vila Da Penha – Rj

Video Caseiro Coroa Crente Gemendo Pra Valer Nessa Foda Gostosa Com Colega De Trabalho Da Vila Da Penha – Rj

No entanto, na surdina sempre adorei pornografia, vivia me masturbando com revistas e até hoje curto um vídeozinho pornô na internet. Ao entrar em casa eu já taquei um beijo bem gostoso na crente puta que foi se soltando e depois de muito beijo tirou o meu pau para fora da roupa e bateu uma punheta em mim enquanto eu lhe beijava e chupava seu pescoço.

Acho que o humor desempenha papel fundamental. ""Sempre tive e tenho tara em coroas até um dia que comecei a dar em cima de uma vizinha do meu condomínio toda vez que tomava banho colocava o volume alto dos vídeos até por que ela era minha vizinha de janela até um dia que tentei algo com ela inventei que minha mãe tinha saído e me trancado na rua bati em sua portá perguntando se poderia esperar minha mãe lá até por que ela me conhecia desde criança.

Roberta chegou à virilha de Valéria e com a ponta da língua, devagar, passeava por esta chegando perto de sua buceta. passamos um tempo conversando e ela começou a chorar e deitou no meu colo, mas o cacete ja estava duro desde a hora que entramos, ela sentiu aquilo na bochecha mas nao se importou, e continuou deitada chorando, foi onde comecei as investidas e ela no começo nao queria mas depois começou a aceitar, quando ela parou de chorar, ela me atacou com um verdadeiro beijo, erao que eu mais queria fiquei surpreso e dei um beijo de resposta e comecei a acariciar seu corpo, fui tirando a sua roupa e vi um belo corpo, que coisa mais linda, tirei seu sutien ela tinha um peitinho bem lindo nem grande e nem pequeno que ja cai de boca, ela toda molhadinha quando passei a mão na sua perna fui descendo devagarzinho e ela se contorcendo e gemendo bem baixinho, quando fui tirando a calcinha dela ou melhor o fiozinho que ela estava que visão que eu tive, bem depiladinha, toda lisinha e aquele grelinho rosadinho… eu juro que pirei… cai de boca e que delicia de melzinho que ela tinha, virgem, falei pra ela que seria meu presente, ela disse que sim pois o CORNO não tinha capacidade pra ter ela virgem… ai que eu pirei de vez… comecei a ensinar ela a chupar, no começo ela deu uma mordidinha mas foi aprendendo, fizemos uma posição 69 e ela adorou, gemia muito, tirei a virgindade dela na posição papai e mamae, ela gemeu alto e me arranhou quando deu a ultima fisgadinha da virgindade e pediu pra parar esperei um pouco ela se acostumar, ela começou a rebolar e começamos nao deu 3 minutos ela gozou, coloquei ela de quatro e continuamos e a safada adorando, pedi pra ela deixar eu comer seu cuzinho ela disse que outro dia, mas insisti e ela deixou, pensa que tesão de menina, gozei dentro dela, ela ficou muito brava , mas falei que compraria o remedio pra ela, acabamos e desfalecemos acordamos por volta das 8 da manhã,tomamos um banho mais uma foda rapida e levei ela pra casa dela… mandou mensagem que nao falariamos que ela nao deveria ter feito isso, passado dois dias mandou mensagem novamente que estava com muita vontade de foder comigo de novo… proximo conto eu continuo"Os leitores e leitoras já tomaram conhecimento de duas colegas/amigas nossas do tempo de faculdade, Márcia e Marisa, as primeiras bissexuais que conheci. Eu comecei o serviço limpei algumas mesas depois chegou karla a filha dele ela tinha uns 18 anos morena com uns peitinhos do tamanho de um limãozinho uma bundinha não muito grande magrinha ela disse que o pai dela tinha mandado ela me ajudar eu sorri e disse tudo bem ela perguntou por onde começava eu mandei ela pegar a mangueira e ir lavando o frízer ela acabou se molhando e escorregando np chão eu fui ajudar e minha mao encostou no peitinho dela eu ajudei ela a levantar segurando ela pelas costas e sua bundinha encostou no meu pal que endureceu na hora ela me olhou eu chamei ela na cozinha e abaixei minhas calças ela ficou assustada mas ai eu peguei a mão dela e coloquei no meu pal e fiquei me masturbando com a mao dela depois virei ela de costas ela deixando tudo levantei a sainha dela puxei a calcinha de lado e encostei meu pal na sua bocetinha ela tentou se sair mais ai eu abracei ela com um braço ela disse que ia gritar eu falei que ia mais iria ser de prazer com a outra mao fui guiando meu pal ate a entrada de sua bocetinha coloquei ela sobre a mesa da cozinha e fui botando meu pal devagarzinho quando passei a cabeça ela deu uma gemidinha ai eu fui forçando e ela gemendo mais alto quando coloquei toda virei ela ela estava chorando ai eu nao aguentei acho que sou sadomasoquista comecei a meter rapido e forte ela gemendo e chorando eu via aquela cena e me dava vontade de empurrar mais eu tava metendo ate o ovo quando olhei pro meu pal entrando e saindo da bucetinha melada de sangue foi quando me dei conta da loucura que tinha feito eu tava descabaçando minha prima quer dizer ja tinha descabaçado aquela altura ela ja estava começando a gostar quando eu tava gozando atirando jatos de porra dentro dela que eu tirei meu pal melado de sangue ela pediu por mais ai eu olhei pra ela e disse que agora so da próxima ce que eu voltar me limpei e chamei ela pra terminarmos de lavar o bar mas de vez em quando ela vinha e dava uma chupadinha quando terminamos fechei o bar meu tio chegou.

"Certo dia uma amiga que fazia curso comigo revelou q era lesbica, eu nem liguri pois era casada e continuei a conversar com ela numa boa, certo dia ela começa a falar q sou gostosa e q sempre foi afim de mim e me chama pra sair, fomos num shopping, conversamos e ela pediu para me beijar, nisso entramos num banheiro e começamos a nos beijar ela começou a enfiar a língua na boca e depois descendo pelo meu pescoço abriu minha calça e enfiou a mão na minha buceta q está hora já estava molhadinha ela me masturbava e sulgava meus peitos de um jeito que nunca havia sentido antes e eu louca pra chupar aquela bucetinha rosa dela, porém bateram na porta e acabaram com a nossa alegria, tivemos que sair do banheiro e depois nunca mais nos vimos.

"Faltava apenas três semanas para o fim das aulas e tinha algumas provas chegando! Tínhamos que fazer esse trabalho o mais rápido possível para que pudéssemos começar a estudar para as últimas provas e também para os vestibulares! Uma vez que não tinha mais nada a fazer a respeito do trabalho, eu me levantei e estava puxando minha cadeira para longe deleEssa caseiro se chama Pedro, aparentemente já com seus mais de 40 anos, morava proximo a principal casa da fazenda com sua esposa e seu filho adolescente.

Estava com medo de minha perceber que havia bebido então apenas cheguei o rosto na cozinha, pedi desculpas por ter me atrasado, disse que foi por causa do trabalho mas que ainda não conseguimos terminar.

Vendo minha reação, ele falou: você disse que não gostava e geme desse jeito? Vou comer seu cu é hoje… Nessa hora, ele me colocou de quatro, vestiu uma camisinha… voltou a me fuder com sua língua deixando meu rego bem molhadinho enquanto se matava numa punheta.